Anúncios

Como montar uma carteira de investimentos?

Anúncios Se você está começando agora no mundo dos investimentos, um desafio que pode te assustar um pouco acaba sendo […]

como montar uma carteira de investimentos
Fonte: Google
Anúncios

Se você está começando agora no mundo dos investimentos, um desafio que pode te assustar um pouco acaba sendo como montar uma carteira de investimentos.

Afinal, o que considerar na hora de escolher um investimento que irá compor a nossa carteira, quais são boas opções?

Enfim, há regras básicas para montar uma carteira de investimento?

Como nem sempre decidimos investir quando já temos um bom conhecimento sobre o assunto as dúvidas surgem aos montes nesse momento.

Hoje quero conversar com você sobre a composição da sua carteira de investimentos.

Se você já leu um pouco sobre o assunto deve ter em mente que quão mais variada a sua carteira melhor, mas como a compor? Vamos ver algumas dicas?

O que é uma carteira de investimentos?

Se você está começando a investir agora saiba que a carteira de investimentos deve ser vista como uma aliada para você.

Pode ser denominada também como portfólio de investimento e acaba sendo onde todos os seus ativos estão e onde você trabalhará para o seu dinheiro render.

Vale destacar que a carteira de investimentos é algo único para cada investidor e leva em conta sobretudo o seu perfil e objetivos também. O melhor acaba sendo justamente que a carteira de investimentos tenha certa diversidade uma vez que diminui os riscos para o investir e aumenta sua lucratividade.

Como montar uma carteira de investimentos?

Qual o seu perfil investidor?

O primeiro passo para que você possa construir a sua carteira de investimentos é conhecer o seu perfil de investidor e isso permite que conheçamos a sua tolerância ao risco.

Por exemplo, se você for um investidor mais conservador, a sua carteira pode ser diversificada, mas você não precisará perder tempo conhecendo investimentos de alto risco.

Os tipos de perfis são divididos em três, conservador, moderado e agressivo.

Como conservador temos aquele investidor com baixa disposição ao risco e como agressivo aquele investidor disposto a correr o risco por rendimentos melhores.

Além do seu perfil de investidor verifique qual a renda e aporte de investimento, isso também vai te ajudar a refinar os investimentos que podem compor a sua carteira.

Algumas corretoras apresentam um questionário que te ajuda a identificar qual o seu perfil investidor e isso pode ser bem interessante.

Quer saber mais quais os MELHORES tipos de investimentos?

EU QUERO!

Quais os seus objetivos?

Você precisa de investimentos que estejam atrelados aos seus objetivos sejam eles quais forem e por isso é preciso pensar sobre eles para compor a sua carteira de investimentos.

Para essa etapa tenha em mente quais os seus objetivos, qual o tempo você espera alcança-los e sobretudo quanto você precisa ter para realizá-los no final.

Isso vai te ajudar a escolher os seus investimentos.

Se o seu objetivo com o investimento for a aposentadoria, por exemplo, o ideal claramente acaba sendo os investimentos de longo prazo.

Para uma viagem de fim de ano, todavia, o investimento deve ser feito de médio ou curto prazo.

Tudo isso deve ser considerado no momento de construção da sua carteira de investimentos.

Eu quero investimentos de renda fixa ou variável?

Essa se faz uma questão extremamente necessária para a construção da sua carteira de investimentos visto que você vai se deparar com um leque muito grande de investimentos para escolher.

Os investimentos de renda fixa são bons porque o investidor tem uma rentabilidade previsível. Ou seja, você consegue ter uma previsão do quanto terá de retorno. Normalmente o retorno está atrelado a um percentual ou indicador econômico, por exemplo.

Para perfis conservadores os investimentos de renda fixa que podem compor bem a carteira de investimentos acaba sendo os títulos públicos que contam com uma rentabilidade interessante e com baixíssimo risco.

Dentre as opções que você pode adquirir temos o Tesouro Selic que possui baixa volatilidade.

Saiba mais sobre títulos públicos AQUI.

Para um perfil mais agressivo temos como opção o Tesouro Direto de longo prazo como o caso do Tesouro IPCA + 2035.

Os investimentos de renda variável são aqueles em que não acaba sendo possível estabelecer uma previsão de quanto o investidor receberá pelo capital aplicado.

No mundo dos investimentos acaba sendo uma alternativa que já gera insegurança em investidores iniciantes, mas há opções que podem ser interessantes para investidores de perfil moderado.

Nesse sentido, para investidores moderados temos como opção em renda variável os ETFs (Exchange Traded Funds).

Os ETFs são ativos que não são muito expostos na Bolsa o que traz certa segurança.

Esses ativos se configuram como fundos de investimentos negociados na Bolsa de Valores como ações e replicam o rendimento de um determinado índice, basicamente.

As ações também acabam sendo uma boa opção.

Contudo, estão diretamente expostas na Bolsa e possui uma boa volatilidade o que pode não ser indicado, sobretudo, para investidores iniciantes.

Todavia podem sim compor a sua carteira em menor quantidade.

Mas para isso opte por empresas já consagradas que apresentem baixa variação.

Quer saber mais qual investimento é melhor para você e seu dinheiro?

EU QUERO

 

Por Rafael Mansberger – Especialista em crédito – @rafaelmansberger – E-mail: [email protected]

Caroline

por

Caroline