Publicidade

Saindo das dívidas | Aprenda como quitar seus débitos e a viver com mais tranquilidade

A falta de planejamento financeiro é um dos principais fatores para o endividamento. Para reverter essa situação, nós montamos algumas dicas que podem te ajudar a quitar seus débitos!

Por:

Fonte: Google
Publicidade

Acabar com as dívidas se tornou a meta de muitas pessoas em 2020.

Mas, em meio ao impacto econômico gerado no orçamento de milhares de famílias por conta da pandemia do Covid-19, essa realidade acabou ficando mais longe.

Atualmente, segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), aproximadamente 66,5% das famílias brasileiras possuem dívidas – com um pouco mais de 10% delas sem condições de honrar com elas.

O desemprego, a falta de novas oportunidades no mercado de trabalho, o fechamento de estabelecimentos comerciais… Muitos podem ser os motivos que levaram ao endividamento.

E ganhando pouco ou ainda sem receber nada, como é possível limpar o nome?

Para te ajudar a ter uma visão de que é possível, sim, sair das dívidas e dar um respiro para o seu bolso, a For Money preparou esse post com todas as dicas para você sair da mira dos birôs de crédito. Acompanhe!

Não adie mais a saída das dívidas

As causas do endividamento podem ser muitas, mas independente de qual seja, o ideal para que elas não se tornem uma bola de neve é não as deixar para amanhã.

Essa não é uma generalização, mas acredite: muitas pessoas usam a crise para justificar o adiantamento da quitação ou tentar fugir do problema.

Mas isso não pode acontecer. O pagamento dos débitos é essencial para que a dívida não se torne parte da sua vida, e te acompanhe pelo resto dela.

Uma dívida, mesmo baixa, mas com juros altíssimos – como acontece com os cartões de crédito – pode se transformar em um débito impagável em pouquíssimos anos.

Apenas para você ter uma breve ideia, uma dívida de 10 mil reais no cartão de crédito, durante dois ou três anos, pode chegar a ultrapassar os R$70.000,00.

É muito dinheiro sendo jogado fora, concorda?

Tome nota de todas as suas dívidas

Antes de acabar com as dívidas, primeiramente precisamos saber quais são elas.

Por isso, não adie o momento de sentar na cadeira e analisar o quão no vermelho você está.

Além de saber o valor total do endividamento, também é importante conhecer outros detalhes do débito, como as taxas de juros.

Refaça as suas finanças pessoais

Você sabe quanto você e o restante da sua família gasta por mês? Bom, deveria saber.

Antes de bolar uma maneira de quitar as suas pendências financeiras, você precisa colocar a casa em ordem, conhecendo o seu orçamento, isto é, suas despesas fixas, variáveis e livres.

A partir desses dados, você deve trabalhar para respeitar o limite de gastos durante o mês, para que os pagamentos das despesas de casa não sejam comprometidos enquanto se livra das dívidas.

Tente renegociar o que for possível

Da mesma forma que você quer quitar sua dívida, o credor também quer receber.

Por isso, tente fazer uma negociação com ele, baseado em condições que sejam favoráveis e justas para ambos os envolvidos.

Pague primeiro aquelas com juros maiores

Se você chegou em um ponto em que uma pilha de boletos está se formando na sua mesa, e você nem sabe mais por qual começar a pagar, lembre-se: a prioridade deve ser (sempre!) das dívidas com maiores juros.

Outra questão que deve ser levada em conta na hora da decisão é o pagamento das dívidas de serviços essenciais, como energia elétrica, água e aluguel, para que não haja corte ou despejo.

Recorra ao empréstimo como última saída – mas não hesite se essa for a estratégia mais viável

A primeira atitude que uma pessoa endividada deve tomar para sair das dívidas é a de buscar outras fontes de renda para aumentar o orçamento da família.

Se você não tem nem ideia de como ganhar dinheiro de forma rápida, deixamos como sugestão esse post aqui que dá 5 ideias práticas de trabalho para ganhar dinheiro.

Após o aumento da sua receita você verificar que isso não foi o suficiente para quitar seus débitos, você pode tentar emprestar o dinheiro de alguém.

Se isso não for possível, a outra alternativa é recorrer ao banco e solicitar um empréstimo pessoal ou consignado, no intuito de trocar a sua dívida cara por outra mais baixa, ou seja, com juros menores.

Veja aqui quais são as opções de empréstimo para negativado.

Por Rafael Mansberger – Especialista em crédito – @rafaelmansberger – E-mail: [email protected]

Recomenda

Últimas