Publicidade

Poupança, CDB ou Tesouro Direto | Veja qual vale mais a pena investir

Essa é uma das dúvidas mais frequentes entre os iniciantes e que pode determinar o futuro do seu patrimônio. Nós preparamos algumas dicas que vai ajudá-lo a tomar a decisão certa na hora de investir!

Por:

Publicidade

Fonte: Google

Ganhar dinheiro para formar a reserva de emergência, aplicar em investimentos ou simplesmente começar a guardar dinheiro para alcançar um objetivo (comprar uma casa, um carro, por exemplo) é sempre importante.

No entanto, quando se trata de encontrar um local para alocar esse montante – que não seja debaixo do colchão – as dúvidas podem começar a surgir.

Afinal, é mais vantajoso deixar o dinheiro na poupança ou em outro tipo de investimento?

Apesar da poupança ser a alternativa mais comum entre os brasileiros, ela não é a única forma de poupar dinheiro.

Inclusive, muitas vezes, ela pode até ser um mau negócio para quem aplicar nela, pois o rendimento perde da inflação.

Pensando nisso, a For Money criou esse post para te explicar as diferenças entre as três principais formas de renda fixa existentes no mercado: a poupança, o CDB e o Tesouro Direto, e qual vale mais a pena. Acompanhe!

Poupança

A vantagem da aplicação na poupança é a facilidade de retirada a qualquer momento, isenta de imposto de renda. Fora isso, esse tipo de investimento não tem muito mais benefícios.

O rendimento está abaixo das outras opções no mercado, atualmente fixada em 70% da taxa Selic mais a taxa referencial (TR) – que se encontra no valor de 0.

Além da sua rentabilidade mensal ser baixa, outro problema que faz com que ela seja amplamente criticada é a sua perda até para a inflação.

CDB

Embora não seja o investimento mais popular, o Certificado de Depósito Bancário (CDB) também está se tornando uma maneira comum dos brasileiros guardar dinheiro.

De forma simples, o CDB funciona como um “empréstimo” concedido ao banco.

Ela é emitida pelo banco com o intuito de captar dinheiro para utilizá-lo em outras atividades bancárias, como aquisições, financiamentos e entre outras operações.

Para dar entrada nesse investimento, o cliente deverá escolher um banco da sua preferência, depositar uma quantidade mínima definido pela instituição para a aplicação e combinar o prazo.

É importante prestar atenção neste detalhe: no momento da contratação confira o tipo de prazo de saque do CDB que você está escolhendo, pois existem títulos de liquidez diária (sacados a qualquer momento) e os de prazos mais longos, que caso você precise tirar antes, deverá pagar uma taxa ao banco.

No que diz respeito aos rendimentos os bancos usam para o cálculo de referência o Certificado de Depósito Interfinanceiro (CDI).

Portanto, como exemplo, o banco X pode pagar 100% do CDI, enquanto outro 95% e por aí vai.

Tesouro Direto

Os títulos públicos do Tesouro Direto permitem aplicações a partir de R$30.

Esse investimento funciona na mesma linha que o CDB, mas ao invés do dinheiro ser emprestado ao banco, ele funciona como um empréstimo ao governo.

Essa aplicação será usada para manter o Estado funcionando, e em troca o aplicador receberá o pagamento dos juros dentro do prazo estipulado pelo título.

O investimento no Tesouro Direto é considerado o mais seguro do mercado, pois a garantia dos títulos está nas mãos do Tesouro Nacional.

Outro benefício dele é que os títulos possuem liquidez diário, ou seja, podem ser sacados em qualquer momento.

As opções de investimentos no mercado financeiro são muitas, cada uma com uma característica específica que pode torná-la mais interessante, dependendo do objetivo do investidor.

Por Rafael Mansberger – Especialista em crédito – @rafaelmansberger – E-mail: [email protected]

Recomenda

Últimas