Publicidade

Investir em Ouro: como funciona? [GUIA COMPLETO]

Está pensando em investir? Saiba tudo sobre o investimento em Ouro!

Por:

Fonte: Google
Publicidade

O ouro é um dos investimentos mais tradicionais existente no mundo e, desde que o mundo é mundo, ele tem se mostrado como um verdadeiro status de riqueza.

Há vários anos este foi um ativo grandemente valorizado pelas mais diversas sociedades, representando além de riqueza, também status.

Mas, como investir em ouro?

Uma das grandes vantagens levadas em consideração pelos investidores de todo o mundo quando pensamos no ouro como um ativo de investimento, é que o mesmo é um ativo físico.

Ou seja, mostra que ele realmente possui uma força quanto a reserva monetária de diversos países do mundo.

Acompanhe mais informações sobre o investimento por meio da compra de ouro!

O que é investir em ouro?

Investir em ouro é uma opção que qualquer investidor tem a sua disposição para diversificar a sua carteira de investimento.

Por ter essa reserva de valor, o ouro tem alta procura em momentos de crise econômica e inflação alta.

Inclusive, acaba sendo uma opção muito recomendada quando o cenário econômico está incerto.

Para investir no ouro, se tem dois caminhos, o primeiro deles consiste em comprar barras de ouro mesmo, a barra física ou a grama do ouro.

O segundo é através da aquisição de títulos atrelados à variação do valor do ouro.

Independente do meio que você use para investir em ouro, a rentabilidade aqui é variável, como todo investimento de renda variável está sujeito a oscilações. Ele está sensível às intempéries do mercado financeiro global.

Em outras palavras, não é possível determinar exatamente quanto você vai ganhar com a compra das barras ou dos títulos.

O que te deve levar a considerar que da mesma maneira que podemos obter bons lucros, a perda de capital acaba sendo algo real.

Mas não tenha medo, ao que tudo indica, o ouro é um ativo muito apreciado no mercado financeiro e que dificilmente apresenta perda.

Por exemplo, para que você tenha uma ideia, de 2001 para 2011 o ouro cresceu mais de seiscentos por cento.

Um comparativo em relação ao ano de 2011 ainda traz um panorama melhor.

Em 2011 enquanto o Ibovespa acumulava mais de dezoito por cento de perda, o ouro crescia pouco mais de quatro por cento.

O ouro através do tempo

O ouro desde os primórdios sempre foi tido como um sinônimo de riqueza, luxo e poder. Na época da realeza, por exemplo, o metal era usado como um ornamento para os grandes e luxosos palácios.

O que não é muito diferente hoje quando pensamos nos muito ricos. Mesmo com o passar dos séculos, o ouro ainda é um ativo de valor, como podemos ver.

Aliás, ativo que tem se valorizado cada vez mais com o passar dos anos. O ouro e igualmente o investimento em ouro, acaba sendo visto como uma forma de reter capital e preservá-lo.

Se você sempre se perguntou porque o ouro sempre foi tão valioso. Vamos lá.

O ouro dificilmente acaba sendo encontrado na natureza, e assim, sendo a sua descoberta escassa, já super valoriza o produto. Além disso, a própria extração do ouro não é uma tarefa simples quando encontrado, o que acaba encarecendo ainda mais.

Quantos não foram os filmes que você já não viu onde são retratados a realidade de muitos garimpos? Nesses filmes, podemos ter uma ideia quanto o cenário que essas pessoas vivem em meio a busca incansável por esse metal precioso.

Muitos garimpeiros acabam arriscando a própria vida em um sonho quase irreal de se tornar milionário, ou mesmo rico. Isso porque de fato, como sabemos, as chances de efetivamente encontrar ouro assim, na natureza é pequeno.

Na natureza não temos ouro assim abundantemente. E como sabemos que tudo no mercado funciona com uma questão de oferta e demanda, o custo desse metal acaba superando o que qualquer outro que conhecemos, como, por exemplo, o ferro ou o cobre.

Como o ouro acaba sendo raramente encontrado, seu custo se torna mais elevado.

Questões pertinentes sobre o investimento no ouro

Estando no Brasil, só há um bom e igualmente seguro caminho para investir seu capital no ouro. Estou falando da temível Bolsa de Valores.

Falo temível, porque alguns investidores têm medo da Bolsa, porque não entendem bem como ela funciona na prática.

Para começar a comprar o seu metal, é necessário ter uma conta em uma corretora que esteja devidamente regular com a Bolsa de Valores. Nesse caso você precisará fazer a abertura da sua conta.

A melhor e mais notória vantagem de investir no ouro através de uma corretora, é você estar totalmente protegido quanto a operação.

A valoração do ouro é feita se realiza através da compra da grama pela moeda vigente.

No Brasil, o metal tem o seu valor de mercado ligado à cotação e a projeção de valor da Bolsa estadunidense. Investir no ouro se configura como uma opção inteligente e rentável.

Todavia, leve em consideração que a rentabilidade acaba variando e que algumas taxas podem estar envolvidas na operação. Dentre as taxas que posso mencionar, está a taxa de custódia e a de corretagem.

Se você está pensando em investir no curto prazo, deve fundamentalmente conhecer o mercado financeiro.

Da mesma maneira, é necessário o seu acompanhamento diário para saber exatamente quando vender seus ativos, sejam eles a barra em si, ou os títulos. Perder um momento de subida pode resultar em perdas.

Se você não conhece bem o mercado financeiro, procure investimentos mais facilmente controlados e igualmente seguros. Como, por exemplo, os títulos de dívida pública, por exemplo.

O investimento no longo prazo é uma maneira de preservar o capital e se garantir das variações econômicas. Nesse caso, procure comprar seus ativos quando houver uma baixa e os valores estiverem mais atrativos.

Por Rafael Mansberger – Especialista em crédito – @rafaelmansberger – E-mail: [email protected]

Recomenda

Últimas