Anúncios

Descontos na conta de luz já começaram, veja como conseguir.

Veja quais serão os critérios que os cidadãos deverão seguir para conseguir desconto na conta de luz.

Quem reduzir o consumo de eletricidade entre setembro de dezembro deste ano em comparação ao mesmo período de 2020 terá direito a um desconto.

O programa lançado pelo governo federal promete alívio na conta de luz, que ficou ainda mais cara por causa da seca nos reservatórios das principais hidrelétricas.

Fonte: Google

Está em vigor a bandeira de escassez hídrica, que impõe uma taxa extra de R$ 14,20 por 100 kWh para compensar os custos com usinas térmicas mais caras e com a importação de energia.

Como o nível dos reservatórios das hidrelétricas continua em queda, o governo lançou medidas para estimular a economia de energia e evitar que haja racionamento obrigatório ou apagão e com isso, o cidadão consegue desconto em sua conta de luz. Vamos te explicar como irá funcionar.

O pequeno consumidor, seja família ou empresa, que conseguir economizar entre 10% e 20% na média terá um desconto que virá na fatura após a medição de dezembro.

Confira a seguir as principais perguntas e respostas sobre o Programa de Incentivo à Redução Voluntária do Consumo de Energia Elétrica.

O programa já está valendo? Sim. O desconto será concedido para quem conseguir economizar energia de setembro a dezembro de 2021.

Sou obrigado a reduzir o consumo? Não. O programa é voluntário. O desconto só virá para quem cumprir as metas de economia.

Preciso me cadastrar para receber o desconto? Não. O desconto será concedido automaticamente para quem atingir as metas do programa.

Quem pode receber o desconto? O programa vale para famílias em áreas urbanas e rurais, indústrias, comércios e empresas em geral que recebem eletricidade pelo SIN (Sistema Interligado Nacional). Famílias com o benefício da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE) também podem receber o desconto.

Ou seja: vale para todos os que pagam conta de luz para a companhia local de energia, menos os moradores de Roraima, porque o estado não é ligado ao sistema. Algumas unidades do serviço público também não podem participar do programa.

Empresas que consomem muita eletricidade e compram energia no mercado livre podem aderir a outro programa de redução voluntária, específico para a categoria.

O que preciso fazer para receber o desconto? Para ter direito ao desconto, você deve reduzir o consumo médio em pelo menos 10% na comparação aos meses de setembro a dezembro de 2020.

Por exemplo: Uma família que consumiu em média 100 kWh por mês de setembro a dezembro de 2020 deverá consumir no máximo 90 kWh na média dos últimos quatro meses de 2021.

A conta é a seguinte: 10% de 100 = 10. Então, 100 kWh – 10 kWh = 90 kWh. O desconto fica maior até o limite de economia de 20% (veja detalhes mais abaixo).

Preciso reduzir pelo menos 10% do consumo em cada mês? Não. O que vale é a média dos quatro meses. Se você não conseguir economizar pelo menos 10% em setembro, por exemplo, mas compensar isso nos meses seguintes, terá direito ao desconto.

Se você não conseguir economizar pelo menos 10% em setembro, por exemplo, mas compensar isso nos meses seguintes, terá direito ao desconto.

Como saber se estou economizando o suficiente para ganhar o desconto? Segundo a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), as distribuidoras de energia elétrica deverão informar aos clientes qual é a meta de redução, com base no consumo de setembro a dezembro de 2020.

As companhias também terão de informar as apurações parciais de redução mês a mês, “de forma clara e objetiva”. Mas não é possível saber com exatidão, em tempo real, qual a sua economia.

De quanto será o desconto na conta de luz? O desconto para quem cumprir a meta será de R$ 0,50 para cada quilowatt-hora (kWh) economizado.

Para isso, é preciso reduzir no mínimo 10% do consumo médio nos quatro meses, e o desconto se aplica até o limite de 20% da redução média.

→ LEIA TAMBÉM: Cartão de Crédito Santander com alto índice de liberação, inclusive para negativados. 

Vanessa Gomes

por

Vanessa Gomes