Publicidade

Como organizar as finanças: tudo o que você precisa saber!

A organização das finanças pessoais é um grande desafio para várias pessoas. Pensando nisso, separamos algumas dicas para te ajudar a organizar as suas finanças!

Por:

Publicidade

Como organizar as finanças

Educação financeira é um tema que eu defendo desde sempre, que as crianças deveriam ter na escola a partir primeira infância.

E não falo de uma aula a cada dois anos em matemática, mas como uma disciplina mesmo.

Se assim fosse, não teríamos tantas pessoas se perguntando como organizar as finanças quando adultos.

Isso não é uma crítica à você, pelo contrário, também não tive educação financeira e por conta disso, tive que aprender sozinho a organizar as minhas finanças e se você está disposto, eu vou te ajudar a organizar as suas também.

Afinal, é a partir da organização das nossas finanças que podemos economizar e conquistar grandes objetivos.

Organizar as minhas finanças: qual a importância?

Algumas pessoas se perguntam qual a importância de organizar as finanças e a resposta é simples.

Quando não temos organização financeira, as chances de gastar mais do que podemos e devemos são altas, com isso temos uma bola de neve em que atrasamos o pagamento de algumas contas, pagamos uma elevada carga de juros e por aí vai.

Sabemos bem como isso termina.

Para que não aconteça com você, o que já aconteceu comigo, vamos ver como organizar as finanças pessoais e finalmente fazer sobrar dinheiro no final do mês.

Abaixo, reuni um passo a passo de como organizar as suas finanças no caderno.

Como organizar as finanças começa com um diagnóstico da situação

Você saberia dizer como está a sua saúde financeira nesse momento?

Provavelmente não, porque você precisa de uma boa organização financeira para isso.

Não é apenas saber que há dinheiro no banco, e as contas a vencer?

Tudo começa com a descrição dos rendimentos e das despesas que você tem.

Coloque no caderno todos os seus gastos e igualmente todos os seus rendimentos.

Anote ao lado de cada gasto aqueles gastos fixos, como, por exemplo, parcelamentos de compras e correlatos que você já assumiu e não podem ser cortados.

Se ao fazer a conta, você perceber que tem gastado mais do que recebido, a sua economia não vai nada bem e é hora de mudanças e consequentemente cortes.

Vamos criar um orçamento para você

O orçamento nada mais é do que estipular o máximo que pode ser gasto mensalmente.

Caso você tenha identificado que possui muitos gastos fixos na primeira etapa, o percentual que poderá ser utilizado para os gastos variados precisa pequeno, se não você nunca conseguirá sair do vermelho.

Veja bem, nesse momento é importante que você veja quanto do seu orçamento está sendo gasto com os pagamentos fixos já assumidos que você não pode cortar nesse momento.

Um exemplo é o financiamento da casa, do carro, os gastos já feitos no cartão de crédito e claro, as contas de água, luz, internet e condomínio.

Se ao fazer essa somatória, você perceber que já está gastando mais do que recebe, é hora de colocar em prática estratégias para economizar água, luz, diminuir a franquia de internet.

Faça cortes onde for preciso e não compre mais nada até que tenha saldo nessa conta.

Suspenda o uso dos cartões de crédito.

Os gastos que falarei agora, não devem nem existir no seu orçamento e talvez você precise até mesmo renegociar o cartão de crédito ou os financiamentos para diminuir as parcelas mensais e ter um respiro financeiro.

Se ao fazer essa conta, você ainda tiver outros gastos, como cabeleireiro, manicure e outros gastos que podem existir, considere quanto você gasta com eles.

Como organizar as finanças para você que não está no negativo

Caso a sua economia não esteja no negativo e você ainda esteja no controle das suas finanças, a minha dica de como organizar as finanças pessoais, é estabelecer uma meta de cinquenta por cento da sua renda para gastos fixos, como financiamentos, água, luz e ademais.

Os de mais gastos que você tem, mas não são fixos e podem ser cortados, devem compor trinta por cento da sua renda e caso estejam passando desse percentual, é melhor analisar o que pode ser cortado e qual a importância destes gastos.

Alguns clientes que eu tenho, possuem um plano de academia que nem mesmo frequentam, aí não vale, não é mesmo? Qual a necessidade disso? Tenha gastos essenciais.

A partir daqui, você já sabe exatamente o que precisa fazer e onde mexer para voltar ou permanecer com as contas no azul.

Como organizar as finanças pessoais envolve a mudança de hábitos

Se você identificou que a sua economia não vai nada bem, é hora de reunir a família e explicar a situação para todos, e claro, mudar alguns hábitos para fechar o mês no azul.

Temos alguns comportamentos que não consideramos que levam a um gasto excessivo no final do mês.

Como, por exemplo, jantares em restaurantes, uso de aplicativos de transporte, delivery’s de comida, compras supérfluas e desnecessárias dentre outras coisas.

Mas no final das contas, elas pesam sim, e muito.

Explique a situação para toda a família e peça o comprometimento de todos para manter o equilíbrio financeiro.

Talvez, em um período transitório, os cortes precisarão ser mais rígidos.

Contudo, explique que é algo temporário que tende a melhorar com o tempo e com o compromisso de todos.

Gostou de saber mais sobre como organizar as finanças?

Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

Por Rafael Mansberger – Especialista em crédito – @rafaelmansberger – E-mail: [email protected]

Recomenda

Últimas