Publicidade

Como Organizar as Finanças na Crise?

Reunimos algumas dicas muito importantes para te ajudar a administrar suas finanças diante de uma crise.

Por:

Minhas finanças em crise: dicas para fugir das dívidas e alcançar metas
Fonte: Envato
Publicidade

Afinal, Como organizar as finanças na crise?

São nos momentos de crise econômica que você entende a importância de organizar sua vida financeira e como isso teria poupado os seus nervos e evitado problemas, não é?

Agora que você entendeu para que serve uma reserva de emergência, assim que possível comece a poupar para a sua e saiba que ter dinheiro para viver seis meses sem trabalhar é o suficiente.

Como não adianta chorar pelo leite derramado vamos partir para as coisas que você pode e deve fazer agora mesmo.

A primeira delas é descobrir quanto exatamente você está devendo.

Faça uma lista e some tudo que está atrasado. Anote esse valor e pegue o telefone porque é hora de negociar.

Comece pelas dívidas com juros mais altos como financiamentos e cartões de crédito e use toda a sua paciência e persistência para renegocia-las até que os valores das parcelas voltem a caber no seu bolso.

Os boletos vão continuar chegando todos os meses e com a renda reduzida talvez você precise decidir quais deles são mais importantes na hora de pagar, então faça isso previamente.

Dê preferência aos serviços essenciais e de moradia, e então passe para as dívidas mais caras, ou seja, aquelas com as maiores taxas de juros.

Nesse momento você já deve ter percebido que vai ter que cortas despesas, mudar hábitos e adequar seu padrão de vida.

Quanto antes você fizer isso melhor.

Lista objetiva para te auxiliar em como organizar as finanças na crise

  • Vá ao mercado menos vezes e leve sempre uma lista: Isso evita que você desperdice dinheiro em coisas desnecessárias.
  • Pesquise preços: procure os melhores preços antes de fazer compras, você vai descobrir que há uma variação muito grande nos valores de uma loja para outra.
  • Evite comprar supérfluos: Esse não é o momento para gastar com vestuário ou comprar de eletrodomésticos e móveis para casa. Resista ao impulso mesmo que os preços estejam bons e não compre nada que não seja extremamente necessário.
  • Cancele assinaturas de jornais, revistas ou streamings: Pode parecer pouco quando se trata de uma assinatura, mas todas elas juntas acabam consumindo grande parte da sua renda.
  • Diminua as despesas variáveis: Dê mais atenção às luzes acesas e aos gastos com água, gás e combustível e tente, sempre que possível, substituir marcas caras por aquelas mais acessíveis.

Depois de aplicar as devidas mudanças é hora de considerar procurar por novas fontes de renda.

Pode ser um segundo trabalho fixo ou algo informal como dirigir para aplicativos ou ser entregador.

Você pode também se tornar freelancer em sites como Workana e 99freelas, se afiliar a infoprodutos, criar um curso, vender importados online ou coisas que tem em casa e não usa mais.

Agora que já sabe o que fazer não deixe para amanhã.

Comece agora mesmo.

Por Rafael Mansberger – Especialista em crédito – @rafaelmansberger – E-mail: [email protected]

Recomenda

Últimas