Publicidade

Renegociar o aluguel pode ser uma maneira para aliviar o orçamento durante a pandemia

Nesse momento, renegociar o aluguel pode ser uma saída interessante para diminuir as despesas fixas. Acompanhe abaixo o nosso passo a passo com algumas dicas:

Por:

Publicidade

Renegociar o aluguel pode ser uma boa pois acordo com a AABIC (Associação das Administradoras de Bens Imóveis e Condomínios de São Paulo).

Pelo menos um a cada cinco aluguéis de imóveis foram renegociados no estado devido a pandemia causada pelo novo coronavírus.

Os descontos no aluguel aplicados variaram entre 10% a 50%, por um período de até três meses.

Essa renegociação foi o que possibilitou inúmeras famílias a se reorganizar financeiramente nesse momento de crise, diminuir o impacto no orçamento familiar ou pelo menos passar com o mínimo de dignidade pelo problema.

No entanto, se você também já renegociou o seu aluguel (residencial ou comercial) ou pensa em fazer isso, é preciso de planejamento para colocar as finanças no eixo novamente depois da crise e não se apertar da mesma forma.

Renegociar o aluguel na maioria dos casos, a oferta funciona da seguinte maneira:

➔ Os descontos concedidos são temporários (a maioria com cerca de três meses)
➔ Os descontos deverão ser pagos nas parcelas dos próximos meses.

Os três meses de contrato com desconto, na maioria dos casos, terminou no último mês.

Mas com a situação atual, será que vale a pena pedir um tempo a mais?

Tanto para os inquilinos quanto para os proprietários essa negociação a mais vale a pena.

A lógica é simples: mais vale o imóvel alugado com prestações menores do que vazio.

Na hora de sentar para reavaliar o pagamento do aluguel é importante que haja bom senso dos dois lados.

O inquilino precisa ser o mais transparente e sincero possível, sem tentar agir de má fé para levar vantagem com a situação.

Enquanto isso, o proprietário deve lembrar que manter a renda (mesmo que em valor reajustado) é melhor do que dispensar o inquilino e correr o risco de não conseguir alugar novamente por meses a fio.

Agora, quem já renegociou o aluguel do imóvel que vive ou que trabalha, e já pediu a extensão do desconto por mais algum tempo até a situação normalizar, mas mesmo assim vê o orçamento quase estourando, precisa analisar as alternativas com calma.

Reavaliar o padrão de imóvel e dar um passo atrás se for o caso, pode ser necessário para não se endividar.

Não espere a poeira abaixar para colocar a sua vida financeira de volta nos trilhos.

Apare as arestas do seu orçamento, adeque o seu padrão de vida e renegocie o que for possível com descontos ou com prazos estendidos.

Coloque tudo o que for possível no papel e planeje todos os caminhos possíveis para passar por esse momento.

Por Rafael Mansberger – Especialista em crédito – @rafaelmansberger – E-mail: [email protected]

Recomenda

Últimas