Publicidade

Finanças: o que me ajudou a ter controle sobre as minhas?

Organizar suas finanças pessoais é um ponto fundamental. Saiba o que me ajudou a ter controle sobre as minhas:

Por:

finanças
Fonte: Google
Publicidade

Eu já fui uma pessoa no vermelho, e com parcelamento de fatura em cima de fatura, e tudo isso porque não conseguia arcar com os gastos que acabava fazendo, por uma série de fatores.

Atualmente quando converso sobre o assunto, me perguntam como minhas finanças pessoais melhoraram tanto, e é sobre isso que eu quero conversar com você hoje.

Para que você tenha aberto esse post certamente as suas finanças pessoais não vão assim tão bem e eu posso te ajudar a reassumir o controle dos seus gastos de maneira simples e descomplicada.

Quer saber como? Não pare de ler agora. Vem comigo.

Fazer o controle das suas finanças é o primeiro passo para que você finalmente tenha independência financeira para poder trilhar um caminho de certezas para o futuro.

É ao reassumir o controlar das finanças pessoais que você poderá economizar, ter uma reserva de dinheiro e poder contar com um pouco de estabilidade para o futuro.

Se você não sabe como controlar suas finanças pessoais, eu vou te ajudar explicando aqui o que eu fiz para controlar as minhas.

Anote os seus gastos para ter controle de suas finanças pessoais

Quando você passa a monitorar os seus gastos, consegue identificar rapidamente para onde o seu dinheiro está indo e, sobretudo, consegue perceber quando os seus gastos já estão no vermelho, o que indica que você não poderá mais gastar por esse mês.

Mas como monitorar tão bem assim os meus gastos? Fácil, anote tudo.

Se você quer saber exatamente para onde está indo o seu dinheiro, registre todos os seus gastos em um caderno.

Assim você terá uma visão ampliada de para onde você tem gasto e qual o valor.

Vai ser possível identificar quais os seus maiores gastos e ademais.

Mas para que esse método realmente funcione para que você reassuma o controle das suas finanças, é imprescindível que você anote tudo, exatamente todos os seus gastos.

Algumas pessoas acabam deixando de fora gastos menores, mas no final do mês quando somados, eles podem sim fazer a diferença.

Eu sempre comprava uma sobremesa no horário de almoço no trabalho e gastava com isso em média de dois a três reais.

O que sinceramente não parece muito, e com isso eu nem me dava conta de que ao final do mês, eu tinha gasto praticamente quase cem reais com isso.

Os pequenos gastos quanto somatizados podem apresentar um valor que vai te surpreender.

Tenha uma planilha financeira para visualizar as suas finanças

A planilha financeira é uma opção interessante após identificar os seus gastos no tópico anterior, porque com ela é possível que você visualize cortes e outras alterações nos seus hábitos de consumo e consequentemente de gastos.

Caso você não domine ferramentas que permitem a criação de uma boa tabela, como o Excel, por exemplo, pode baixar um modelo pronto na internet.

O importante na planilha, é que você a preencha com todos os seus gastos e todas as suas receitas.

Semanalmente dê uma olhada geral em como os seus gastos estão indo e quanto você ainda pode gastar.

Com a planilha, eu consegui determinar ajustes em minhas finanças para que eu conseguisse mensalmente separar uma pequena quantia para investimentos e para a construção de um fundo de emergência.

Você pode criar uma sessão na sua planilha intitulada de redução, onde você vai anotando o quanto foi possível economizar e com o valor conseguido no final do mês, crie uma coluna para o seu fundo de emergência ou investimento.

Tenha uma reserva financeira para emergências

Aqui vou falar um pouco mais sobre a reserva que mencionei no tópico anterior.

O ideal é que você consiga reservar em média quinze por cento da sua renda bruta todos os meses.

Mas caso no início isso não seja possível, faça economias que comentei acima e crie a sua reserva com isso.

A reserva financeira é importante para que você não seja pego de surpresa com gastos repentinos como doenças, consultas médicas ou conserto do carro, por exemplo.

Um bom fundo de emergência deve corresponder a cerca de três a até seis salários que você recebe mensalmente.

Sendo uma excelente maneira de equilibrar as finanças pessoais em caso de demissão, até que você seja recolocado no mercado de trabalho.

Para evitar que você gaste o dinheiro previsto para a construção do seu fundo de emergência, programe uma transferência automática no dia seguinte ao recebimento do seu salário.

Evite compras por impulso

Algo que acaba e muito comprometendo o nosso orçamento e nossas finanças pessoais são as compras por impulso facilitadas pelo cartão de crédito.

Antes de qualquer compra, veja qual a necessidade do bem adquirido e se ele realmente terá utilidade.

Muitas das compras que fazemos são motivadas apenas porque determinado produto está em promoção e a sua compra atribui status ou algo do gênero.

Evite compras que você sabe que não são necessárias e principalmente, não compre algo apenas porque está na promoção.

Gostou de saber mais sobre como ter mais controle sobre suas finanças?

Então não deixe de acompanhar os demais artigos do blog, tenho muitas outras novidades para você!

Por Rafael Mansberger – Especialista em crédito – @rafaelmansberger – E-mail: [email protected]

Recomenda

Últimas